h1

Gestão de recursos humanos: teorias e práticas

28/04/2009

Com o crescimento da economia e um quadro voltado para as características de cada cliente, as empresas precisam possuir flexibilidade e capacidade para inovar e se manterem no mercado de trabalho, que está cada vez mais competitivo.

Outro item que vem crescendo cada vez mais é o conhecimento, a produção de bens imateriais, dá um peso crescente na economia. Dessa forma o conhecimento está integrado em tudo o que é produzido, assim a produção de um bem ou serviço se incorpora cada vez mais na informação e no conhecimento. Assim, o conhecimento é tido como algo de grande valor econômico.

Com essas alterações, os padrões de competitividade estão sendo modificados. A competição não está mais diretamente relacionada ao preço das matérias-primas, energia ou trabalho, mas sim a competência humana, sinergia, informação ou ainda serviços de apoio.

A partir dessa nova forma de concorrência as organizações deixaram de competir de forma isolada, passaram então, a competir em forma de parcerias, assim, as regras de concorrência passaram a ser determinadas no contexto de redes profundamente globalizadas. Dessa forma, um produto fabricado no Brasil, vai competir com um mesmo produto, fabricado nos Estados Unidos, por exemplo.

Após todas essas transformações no mercado de trabalho, as empresas sentiram a necessidade de se reestruturar. Assim as organizações alteraram suas formas de organização produtiva, e passaram a desenvolver novos modelos de gestão interna, havendo maior flexibilidade em sua estrutura.

Com isso as organizações precisaram aprender a desenvolver os seus produtos com maior valor acrescentado, ou seja, com maior valor de conhecimento, criatividade e inovação. É através desses itens que se pode agregar maior valor aos produtos ou serviços prestados, só assim as organizações conseguem gerar riqueza. Nesses termos, gerir conhecimento, significa que a organização precisa criar um conjunto de condições, onde permita que o capital intelectual da empresa se desenvolva.

Para que isso ocorra, existem três vias que podem ser tomadas: desenvolvimento do capital humano, onde as competências individuais são desenvolvidas; desenvolvimento do capital estrutural, a estrutura organizacional estimula a aprendizagem interna em toda a empresa, há uma aprendizagem mútua entre indivíduo e organização; e por último, o desenvolvimento do capital relacional, onde o conhecimento vai depender da relação de diversas organizações e pessoas.

As empresas se adaptam ao modelo de gestão, que no momento irão satisfazer as suas necessidades, assim elas gerem os trabalhadores de forma diferente. Os trabalhadores de menor valor acrescentado, na maioria das vezes, são geridos de forma convencional, já o grupo com maior valor acrescentado, as organizações procuram capitaliza-los e promovê-los.

Geraldine Marques Maiochi
Psicóloga – CRP12/07338

About these ads

Um comentário

  1. Otimo artigo com foco e muito objetivo.



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: